Publicidade

Anosmia: a doença ignorada que afeta a qualidade de vida

Embora não existam dados exatos sobre a anosmia, sabe-se que é uma doença que afeta muitas pessoas. Descubra quais as causas e como se prevenir!

Mariana Duarte
em 27-Jul-2017

Já imaginou não conseguir sentir o cheiro do seu perfume favorito ou de um delicioso pão assando? Quem tem anosmia convive com isso. Seja ela temporária ou permanente, é um incômodo que ninguém gosta de sentir.

Não sabe o que é anosmia? Continue lendo e descubra tudo sobre essa doença: suas causas, tipos, diagnóstico, complicações, tratamentos e formas de prevenção:

O que é anosmia?

Anosmia é caracterizada pela perda de olfato, seja ela parcial ou total. A incapacidade de sentir cheiros é ainda pior do que parece, pois como olfato e paladar estão diretamente ligados, quem sofre de anosmia também tem o paladar prejudicado. Assim, um anósmico pode até mesmo ingerir alimentos estragados inconscientemente.

Tipos de anosmia

Existem dois tipos básicos dessa perda olfativa. São eles:

1) Anosmia temporária


Você provavelmente já teve uma anosmia temporária. Quando estamos gripados, resfriados ou com alguma alergia, nosso nariz geralmente fica entupido e, com isso, não conseguimos sentir cheiros nem sabores.

São momentos bem desagradáveis, não são? Mas a boa notícia é que passam rápido e quase nunca deixam sequelas. Imagine como é conviver com isso diariamente! Esse é o drama de quem tem anosmia permanente.

2) Anosmia permanente


Pode ser dividida em parcial ou total. Na parcial, a pessoa tem uma diminuição de sua capacidade olfativa, mas não fica privada totalmente de sentir odores. Já a total é mais grave e dificilmente é curada. Em compensação, é uma forma rara de anosmia.

A anosmia permanente pode ocorrer desde o nascimento, por fatores genéticos ou ser adquirida por determinadas causas que veremos agora:

Causas da anosmia

• Problemas psicossomáticos: causas emocionais acabam levando ao surgimento de sintomas físicos;

• Deformidades ósseas: a passagem de odores pelos receptores do nariz fica prejudicada;

Infecções nos nervos faciais: pode levar a uma perda de ligação entre cérebro e receptores de cheiro;

• Acidentes de carro: nessas situações, podem ocorrer traumas no crânio, deformidades ósseas e rompimento de nervos que propiciam o desenvolvimento de anosmia;

• Pólipos nasais: esse é um tipo de obstrução física que acontece nas narinas e que demanda cirurgia de correção;

• Cirurgias nasais: há a possibilidade de esse procedimento danificar as mucosas do nariz ou nervos faciais de forma irreparável;

Problemas neurológicos: Alzheimer, Parkinson e doenças congênitas podem desencadear anosmia;

• Sinusite: seja por reação alérgica, trauma, pólipo ou alteração de altitude, essa inflamação da mucosa dos seios da face pode ter como consequência a anosmia. Rinite (inflamação da mucosa do nariz) também é fator de risco;

• Fumaça: uma das maiores causas de perda olfativa. A fumaça causa danos à mucosa olfativa. Esses podem ser reversíveis ou irreversíveis;

• Alcoolismo: os vapores que se soltam do álcool podem queimar os receptores olfatórios e, assim, impedir os estímulos olfativos e gustativos;

• Tumores: seja pela obstrução física ou pela perda de capacidade celular;

Radioterapia: o tratamento de tumores através da radioterapia também é fator de risco para a perda de olfato;

• Uso de drogas aspiradas: prejudicam de forma temporária ou permanente as mucosas do nariz;

• Idade: ao decorrer da vida, nossas células vão se desgastando e perdendo suas funções. É por isso que grande parte das pessoas acima de 60 anos tem algum tipo de anosmia.

Agora que você já sabe das causas dessa perda olfativa, vamos dar uma olhada nas consequências – que podem ser bem graves!

Consequências da anosmia

• Intoxicação alimentar: acontece por não conseguir identificar o cheiro e gosto de alimentos estragados;

• Acidentes graves: se um anósmico não sentir cheiro de gases tóxicos ou não identificar cheiro de fumaça em um incêndio, pode se ferir gravemente ou vir a óbito;

• Perda de apetite: o prazer de comer está justamente em sentir sabores! Se não os sente, pra que comer? Em médio e longo prazo, esse problema leva à perda de apetite;

• Desnutrição: ironicamente, a desnutrição pode tanto ser a causa quanto a consequência da perda olfativa. No caso da consequência, depois da perda de apetite a pessoa pode chegar a um estado de desnutrição;

Isolamento social: qual a graça de sair para comer com os amigos quando não sente o gosto dos alimentos? Com a perda de olfato e paladar, a pessoa pode se distanciar dos amigos;

Depressão: a perda de sentidos tão importantes, o fato de não conseguir sentir os cheiros que agradam e o isolamento social podem causar quadros depressivos em anósmicos.

Diagnosticando a anosmia

Quem pode diagnosticar a anosmia são os clínicos gerais e os otorrinolaringologistas. É importante que você já tenha em mente alguns dados, como:

1. Há quanto tempo essa perda olfativa teve início;

2. Se você teve obstrução nasal recentemente;

3. Se você tem alguma doença relacionada ao sistema respiratório, como sinusite ou rinite;

4. Medicamentos que utiliza regularmente ou que utilizou nos últimos dias;

5. A perda de olfato aconteceu de repente ou de forma gradual?

6. Você apresenta outros sintomas?

Depois dessa sondagem inicial, o médico poderá pedir alguns exames, como:

• Hemograma;

• Ressonância magnética;

• Tomografia cerebral;

• Raio-x cranial;

• Endoscopia nasal.

Antes desses exames, ele deverá fazer alguns testes para verificar se você consegue identificar odores específicos.

Tratamentos eficazes para anosmia

A anosmia temporária costuma sumir naturalmente em alguns dias. Algumas ações que ajudam:

• Travesseiro embaixo do colchão: evita a obstrução nasal por gerar um posicionamento diferente da cabeça em relação ao corpo;

• Soro fisiológico: limpa as mucosas nasais;

• Vapor quente: desobstrui as narinas;

• Anti-histamínicos: interrompem a reação alérgica que pode causar anosmia temporária;

• Reduzir a exposição a possíveis alérgenos: poeira, pólen e mofo são os principais causadores de alergia;

• Reduzir ou cessar o consumo de cigarros.

Já a anosmia permanente exige cuidados mais complexos e/ou extensos:

• Cirurgia: no caso da perda olfativa ter sido causada pela obstrução nasal por algum objeto, pode ser necessária a retirada cirúrgica do mesmo;

• Se envolver em atividades que priorizam os outros sentidos: fotografia e artesanato são boas formas de priorizar a visão e tato, por exemplo;

• Procurar ajuda profissional: em casos mais graves, que levam a quadros depressivos, é importante procurar auxílio psicológico. Não há como tratar a anosmia senil, que ocorre devido à idade avançada.

Como me prevenir da anosmia?

A maioria das causas da anosmia está relacionada a fatores que não podem ser controlados – traumas, doenças, sequelas, idade, etc. No entanto, há coisas que você pode fazer para se prevenir:

• Não faça uso de drogas aspiradas: o uso de drogas de qualquer tipo não é saudável, mas as drogas aspiradas, em especial, causam danos às mucosas nasais;

• Pare de fumar: seja ativa ou passivamente, a fumaça de cigarros afeta diretamente a mucosa olfativa;

• Tenha bons hábitos alimentares: a desnutrição e carência de vitaminas podem levar ao desenvolvimento de anosmia. O sistema imunológico é comprometido pela má alimentação e, assim, doenças que causam perda olfativa aparecem com frequência;

• Fique longe de substâncias alérgenas: limpe os locais em que você permanece por mais tempo, em especial seu quarto. Os ácaros e poeira presentes nesses locais podem desencadear reações alérgicas e anosmia.

RESUMO: A anosmia – perda de olfato – é uma doença que atinge pessoas com idade avançada, mas que vem atingindo também indivíduos jovens por uma série de fatores, como: má alimentação, doenças congênitas, uso de drogas, tabagismo, alcoolismo e traumas no crânio.

Essa pode acontecer de forma parcial ou total e, embora pareça uma doença inofensiva à primeira vista, pode causar inúmeros danos ao indivíduo afetado, podendo inclusive levá-lo à morte devido a acidentes a que é submetido.

O diagnóstico pode ser realizado por dois profissionais: clínicos gerais e otorrinolaringologistas. Depois de uma pesquisa inicial, poderão ser feitos exames para confirmar ou descartar uma anosmia, seja ela temporária ou permanente.

Quando se trata de uma anosmia temporária, o tratamento é rápido, indolor e geralmente eficaz. No entanto, essa pode evoluir para uma anosmia permanente, e aí o tratamento se torna difícil ou inexistente na grande maioria dos casos, sendo que o anósmico precisa aprender a conviver com esse desconforto por toda a vida.

A boa notícia é que existem formas de prevenir essa perda olfativa e, assim, garantir a saúde e qualidade de vida por mais tempo. São atitudes simples que podem evitar o desenvolvimento da anosmia.

Confira agora tudo o que você precisa saber sobre as causas, tipos, tratamentos, diagnóstico e, claro, como se prevenir da perda olfativa, essa doença que é ignorada por boa parte da população, mas que afeta o bem estar e a qualidade de vida, muitas vezes de forma irreparável.

Se você é um profissional da área da saúde, crie agora mesmo o seu perfil inteiramente grátis e divulgue seu trabalho.

O que é o MediConic ?

Somos o melhor buscador de profissionais de saúde do Brasil. Aqui você vai encontrar o profissional mais perto de você, veja as opiniões de outros pacientes e opiine também ! Encontre infomrações rapidamente, telefone, endereço, e até o curriculum do profssional.

Dúvidas sobre saúde?

Tem dúvidas sobre saúde? então deixe a suas perguntas que nossa comunidade de Médicos, Dentistas, Pediatras e até veterinários irão responder para você.